Governo britânico reduzirá número imigrantes de fora da UE

Limite adotado por coalizão do governo não valerá para trabalhadores transferidos que recebem mais de R$ 109 mil por ano

iG São Paulo |

A Grã-Bretanha irá reduzir em um quinto o número de imigrantes de fora da União Europeia autorizados a trabalhar no país. O anúncio foi feito pelo governo nesta terça-feira.

O limite adotado pela coalizão conservadora-liberal, no poder desde maio, no entanto, não valerá para trabalhadores que recebam mais de 40 mil libras (R$ 109,6 mil) por ano, e que sejam transferidos por uma empresa de outros países para a Grã-Bretanha.

O número de imigrantes chegando de fora da UE, que em 2009 foi de cerca de 28 mil, será limitado em 21,7 mil a partir de abril de 2011. Como parte do bloco europeu, a Grã-Bretanha tem uma política de "portas abertas" para trabalhadores da maioria dos demais 26 países da UE.

A quantidade de imigrantes autorizados a entrar sem emprego será reduzida de cerca de 13 mil no ano passado para 1 mil, e as autorizações serão limitadas a "talentos excepcionais", como cientistas, acadêmicos e artistas.

Já a quantidade de estrangeiros que podem entrar possuindo ofertas de emprego terá um aumento de quase 7 mil indivíduos, chegando a 20,7 mil. Haverá restrições também para cargos com nível de pós-graduação, mas não para investidores e empreendedores, segundo a ministra do Interior britânica, Theresa May.

Entidades empresariais, políticos de oposição e alguns membros do Partido Liberal-Democrata alertaram o governo e disseram que as restrições à imigração podem afetar negativamente a economia, por reduzirem a produtividade e, possivelmente, elevarem as folhas de pagamento.

Economia

Entidades empresariais, políticos de oposição e alguns membros do Partido Liberal-Democrata alertaram o governo e disseram que as restrições à imigração podem afetar negativamente a economia, por reduzirem a produtividade e, possivelmente, elevarem as folhas de pagamento.

Tensões sociais relacionadas ao grande contingente de imigrantes tiveram um papel crucial na campanha eleitoral deste ano, e todos os principais partidos políticos prometeram adotar posturas mais rigorosas. O desemprego está em 7,7% na Grã-Bretanha, e cortes nos gastos do governo ameaçam os empregos de quase meio milhão de funcionários públicos.

A ministra disse que o governo deseja reduzir o fluxo migratório (imigração menos emigração) dos atuais quase 200 mil indivíduos por ano para a casa das dezenas de milhares em 2015, quando está prevista a nova eleição parlamentar.

"Devemos endurecer o nosso sistema imigratório", disse May ao Parlamento. "É possível reduzir os números promovendo o crescimento e salientando a mensagem de que a Grã-Bretanha está aberta para os negócios."

A ministra disse também que ficará proibida a entrada de empregados temporários que depois se instalem definitivamente. "Vamos encerrar o vínculo entre migração temporária e permanente", afirmou ela.

*Com Reuters

    Leia tudo sobre: grã-bretanhaimigrantesunião europeiaimigração

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG