Governo britânico quer permitir que médicos vendam remédios em consultas

Londres, 23 mar (EFE).- O Governo britânico estuda a possibilidade de permitir que os médicos do Sistema Nacional de Saúde britânico vendam em suas consultas medicamentos de venda livre, ou seja, que não requerem prescrição médica.

EFE |

Segundo o jornal "The Daily Telegraph", seria a primeira vez que se permitiria aos médicos deste país lucrar diretamente com a venda desse tipo de remédio.

O documento ao qual o jornal teve acesso sugere inclusive que não será necessária a aprovação formal do médico para a venda de remédios que não requeiram prescrição médica, o que significa que poderiam ser vendidos pelas próprias recepcionistas da consulta.

Atualmente, nas áreas onde não há uma farmácia próxima, os médicos podem passar remédios sob receita e ficar com o lucro.

No entanto, estão proibidos de passar remédios de venda livre, como os vendidos atualmente em farmácias, supermercados e pequenos comércios, na tentativa de garantir que a decisão de recomendar um determinado medicamento se baseia exclusivamente em fatores clínicos.

O porta-voz para assuntos de saúde da oposição liberal-democrata, Norman Lamb, qualificou esses planos do Governo de "perigosos", porque "podem prejudicar a relação que deve existir entre o médico da família e o doente". EFE jr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG