Governo britânico pede mais compromisso da UE com a América Latina

Madri, 14 set (EFE).- A União Europeia (UE) não pode garantir suas relações com a América Latina, diante da concorrência com potências emergentes como a China e a Índia, advertiu hoje, em Madri, o subsecretário de Estado do Ministério de Assuntos Exteriores do Reino Unido, Chris Bryant.

EFE |

"Com uma população de 575 milhões e com 6% do Produto Interno Bruto (PIB) do mundo, nenhum país pode ignorar a América Latina", disse Bryant, em seu discurso durante o fórum Tribuna Ibero-Americana, organizado pela Casa de América e pela Agência Efe.

Após qualificar a América Latina como "um gigante adormecido", afirmou que é necessário "um verdadeiro compromisso da UE" com a região, se quiser construir uma relação que consiga resultados concretos.

"Não somos os únicos que queremos", advertiu, ao ressaltar os vínculos cada vez mais estreitos entre a América Latina, a Índia, a China e outras potências emergentes, e disse não poder garantir as relações da região com a Europa.

Bryant realiza uma visita a Madri em um momento-chave, quando a Espanha se prepara para assumir a Presidência temporária da UE, em janeiro, e antes de fazer uma viagem por México, Venezuela, Peru, Colômbia, Brasil e Argentina, no final do mês e em outubro.

"Queremos aproveitar nossas boas relações bilaterais com a Espanha para construir uma relação mais frutífera com a América Latina", afirmou.

O Reino Unido está disposto a "participar de todos os desafios, trabalhando juntos ou em paralelo com a Espanha" na América Latina, acrescentou Bryant, que citou como áreas principais de cooperação a economia, a governabilidade e a luta contra o narcotráfico e a mudança climática. EFE ik/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG