Governo boliviano vai julgar ministros da Suprema Corte

O governo do presidente Evo Morales anunciou um julgamento de responsabilidade de sete dos 12 ministros da Suprema Corte de Justiça da Bolívia que decidiram transferir de La Paz a Santa Cruz o caso de um grupo de mercernários.

AFP |

Sete dos 12 ministros do tribunal decidiram na sexta-feira que Santa Cruz, um reduto da direita, tem competência para investigar o grupo, que teve três integrantes mortos a tiros em abril, quando, segundo o governo, planejavam o assassinato de Morales.

"O governo lamenta e repudia veementemente esta decisão. Os sete ministros que votaram devem saber que acontecerá um julgamento de responsabilidades por prevaricação", anunciou o influente vice-ministro de Coordenação, Wilfredo Chávez.

O Executivo duvida da justiça de Santa Cruz por temer que seus juízes diluam a investigação, que para o governo provaria a relaçãi de ricos empresários de direita desta região com o grupo de mercenários bolivianos, croatas e húngaros.

O governo alega que alguns membros da elite empresarial de direita financiaram o grupo do boliviano-croata Eduardo Rózsa Flores, morto a tiros em um hotel de Santa Cruz, ao lado de dois companheiros.

jac/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG