Governo boliviano reforçará presença militar em Pando

La Paz, 6 out (EFE) - O Governo da Bolívia anunciou hoje que reforçará a presença militar na região de Pando, no norte do país e fronteira com Brasil e Peru, com a instalação de um Comando Amazônico quando finalizar o estado de sítio declarado nesse departamento. O ministro da Defesa boliviano, Wálker San Miguel, declarou à rede Erbol que a presença militar vai permitir a geração de uma verdadeira institucionalização em Pando, onde o Executivo decretou o estado de sítio em 12 de setembro após a onda de violência entre opositores e governistas que deixou pelo menos 18 mortos. Segundo a Erbol, que cita fontes do Governo, o Comando Amazônico consistirá em um contingente formado por soldados da Força Aérea, Naval e Exército que será instalado entre La Paz, o departamento de Beni, no nordeste, e Pando. San Miguel esclareceu que a instalação do Comando Amazônico não significa uma ampliação do estado de sítio, mas mais quartéis na zona (...

EFE |

) e maior presença das instituições do Estado" para quando finalizar a medida.

O presidente boliviano, Evo Morales, já tinha anunciado no final de setembro que quando expirassem os 90 dias de estado de sítio, em Pando seria alocada uma "forte presença estatal".

O Governo determinou o estado de sítio um dia após os violentos choques entre governistas e opositores autonomistas que, em 11 de setembro, causaram a morte de pelo menos 18 pessoas, no meio da onda de violência que se estendeu por várias regiões do país.

Pela violação do estado de sítio, o Executivo ordenou a detenção do então governador regional, o opositor Leopoldo Fernández, recluso atualmente em uma penitenciária de La Paz, acusado de terrorismo e homicídio.

Além disso, Morales nomeou um militar para substituí-lo à frente do departamento. EFE az/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG