Governo boliviano exige renúncia de juízes da Corte Suprema

La Paz, 11 fev (EFE).- O Governo da Bolívia pediu a renúncia de diversos magistrados de a Corte Suprema de Justiça que se opuseram à nova Constituição aprovada em 25 de janeiro, alegando que a promulgação da mesma encerra seus mandatos, informou hoje a imprensa.

EFE |

A ministra da Justiça, Celima Torrico, pediu a renúncia de três dos 11 magistrados porque o artigo 183 da nova Constituição define mandatos de seis anos e estes completam somente em março os dez anos para os quais foram escolhidos pela Carta Magna anterior.

Os magistrados Héctor Sandoval, Jaime Ampuero e Enilse Ardaya, que mostraram sua oposição à nova Constituição antes dela ser votada, anteciparam que não deixarão seus cargos até março, quando se cumprirá este período.

O ex-presidente Carlos Mesa (2003-2005) disse à emissora da TV Bolivisión que o país se encontra em um período transitório na implantação da nova Constituição e afirmou que o Governo está tentando destruir o Poder Judiciário e com isso dar um "golpe de Estado".

"Não se pode interpretar nenhuma das normas transitórias para destruir o Poder Judiciário. Quem destrói o Poder Executivo, o que destrói o Poder Legislativo, o que destrói ao Poder Judiciário está dando um golpe de Estado", afirmou Mesa. EFE az/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG