Governo boliviano cria conselho para elaborar planos sobre autonomias

La Paz, 16 fev (EFE).- O Governo de Evo Morales criará nesta terça-feira o Conselho Autônomo encarregado de elaborar o plano para aplicar o regime na Bolívia, e pretende fazer isso mesmo sem a presença dos governadores opositores que se recusam a se reunir com o líder e que não estarão amanhã no encontro.

EFE |

O ministro de Autonomias e Descentralização, Carlos Romero, confirmou hoje ao canal estatal de televisão que o Conselho será o único espaço institucionalizado de discussão sobre o tema e incluirá diversos atores sociais e políticos.

Romero destacou que o Conselho funcionará a partir de terça-feira porque não pode ser "aprisionado por quatro governadores regionais", em referência à decisão dos líderes de Santa Cruz, Tarija, Beni e Chuquisaca de não participar outra vez das reuniões com o Executivo para debater o assunto.

Os governadores dessas regiões rejeitaram se reunir primeiro de forma individual, e depois em bloco, com Morales, e amanhã também não participarão do encontro, convocado na sexta-feira pelo próprio presidente, antes de viajar à Rússia e à França.

A reunião de amanhã será dirigida pelo ministro Romero e seus colegas de Fazenda, Luis Arce; de Planejamento, Noel Aguirre; e da Presidência, Juan Ramón Quintana. O presidente não participará por estar hoje em Moscou e, na terça-feira, em Paris.

O Executivo também convidou os cinco governadores regionais governistas de La Paz, Cochabamba, Oruro, Potosí e Pando, associações municipais das nove regiões do país e seis representantes de organizações sociais.

Romero assegurou que Morales sugeriu um diálogo "respeitoso" aos governadores regionais, mas também defende "a necessidade de que avancem as autonomias, estejam ou não presentes os governadores regionais da oposição". EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG