Governo boliviano comemora saída de agentes dos EUA

La Paz, 31 jan (EFE).- O Governo de Evo Morales manifestou hoje satisfação pela saída da Bolívia dos 36 agentes da Agência Antidrogas dos Estados Unidos (DEA, na sigla em inglês), cuja expulsão foi decidida em 1º de novembro do ano passado.

EFE |

Um comunicado do Ministério de Governo (Interior) destacou que a DEA tenha deixado a Bolívia, "em cumprimento de uma decisão soberana tomada pelo presidente da República".

Morales suspendeu as operações dos agentes da DEA acusando-os de conspirar contra ele junto a opositores, durante a onda de protestos de setembro, quando também expulsou o embaixador americano, Philip Goldberg, sob a mesma acusação.

A embaixada dos EUA rejeitou todas as denúncias de Morales, e Washington respondeu, ainda no Governo de George W. Bush, expulsando o embaixador boliviano, Gustavo Guzmán, e suspendendo benefícios alfandegários que concedia ao país sul-americano.

Segundo o comunicado governamental, o ministro de Governo, Alfredo Rada, disse que a Bolívia continuará na luta contra o narcotráfico "fazendo respeitar sua soberania" e respaldando suas forças antidrogas "que responderam de forma eficiente em suas tarefas".

Rada também sustentou que é uma prioridade do Governo dar um "fiel cumprimento" aos convênios assinados com Argentina, Brasil e Paraguai para enfrentar o narcotráfico na região.

O comunicado assinalou que no resto do ano, a Bolívia continuará com "a estratégia de nacionalização da luta antidrogas e de sua regionalização na América do Sul". EFE ja/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG