Governo boliviano anuncia julgamento de governadores opositores

La Paz, 23 jun (EFE).- O Governo da Bolívia anunciou hoje que vai julgar no Congresso os cinco governadores regionais opositores que anunciaram que não se submeterão ao referendo revogatório convocado para 10 de agosto.

EFE |

A decisão foi anunciada pelo ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, em entrevista coletiva no palácio de Governo, após a recusa em participar do referendo dos governantes dos departamentos autonomistas de Santa Cruz, Beni, Pando e Tarija, além de seu aliado de Cochabamba.

O referendo para ratificar ou revogar o mandato do presidente, vice-presidente e governadores regionais foi proposto por Evo Morales em dezembro, mas ficou estagnado no Senado, controlado pela oposição, que decidiu aprová-lo surpreendentemente em maio.

Para revogar os mandatos é preciso que o "não" supere tanto o percentual de apoio obtido no pleito nacional e departamental de 2005, nos quais foram escolhidos, quanto o número absoluto de votos.

Segundo Quintana, a oposição dos governadores regionais ao referendo revogatório é um "desacato a uma lei da República e, portanto, uma violação flagrante à Constituição Política do Estado".

Os governadores regionais reunidos hoje em Tarija comunicaram a Morales, em uma carta, que não submeterão suas regiões ao referendo revogatório e lhe pediram uma reunião para 1º de julho, para tentar encontrar um processo de reconciliação nacional.

Além disso, afirmaram que, na falta de um acordo político, deverá ser convocado um pleito para todos os cargos.

Os governadores regionais alegam que a forma como o referendo foi convocado favorece a Morales, e reivindicam que essa votação deveria acontecer dentro dos estatutos autônomos aprovados nas quatro regiões. EFE ja/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG