Governo boliviano acusa opositores de não quererem dialogar sobre autonomias

La Paz, 8 mar (EFE).- O Governo boliviano criticou hoje a intolerância extrema dos líderes regionais opositores, e os acusou de tentar, a todo custo, desprestigiar o diálogo sobre o regime autônomo contemplado na nova Constituição.

EFE |

"Sinto um ar de agressão que beira a intolerância", afirmou Carlos Romero, ministro de Autonomias e encarregado de articular o diálogo com as regiões, em declarações à rádio estatal.

O ministro afirmou que fez "esforços dos mais inusitados para dialogar e aproximar posições" com os líderes regionais de Beni, Chuquisaca, Santa Cruz e Tarija.

No entanto, lamentou que eles não o reconheçam como autoridade oficial para dialogar, o que atribuiu a uma "falta de respeito" de alguns porta-vozes departamentais.

Ele se referia às declarações do secretário de Autonomias de Santa Cruz, Carlos Dabdoub, que afirmou que Romero não é ministro de Estado, porque foi designado por um decreto supremo que vulnera a lei e a nova Carta Magna e que só é reconhecido como um cidadão comum.

Os opositores se negaram a comparecer às reuniões convocadas pelo Governo para discutir a implementação do regime autônomo contemplado na nova Constituição, promulgada em 7 de fevereiro.

O ministro confirmou novamente a convocação que fez a todos os governadores, prefeitos municipais e líderes indígenas ao Conselho Nacional de Autonomias que será realizado na terça-feira, no Palácio do Governo de La Paz. EFE lav/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG