Governo austríaco cogita proibir uso da burka

Viena, 23 dez (EFE).- A ministra das Mulheres da Áustria, a social-democrata Gabriele Heinisch-Hosek, se disse disposta a estudar a proibição da burka, mas declarou que, por enquanto, a questão não é um problema no país.

EFE |

Em entrevistas publicadas hoje pelos jornais "Osterreich" e "Tiroler Tageszeitung", Heinisch-Hosek diz ser contra a ocultação total da mulher.

"Sou a favor da proibição da burka. Por enquanto, este não é um problema na Áustria. Se fosse, mandaria alguém verificar a legalidade da proibição (dela) em espaços públicos", disse a ministra.

Heinisch-Hosek se referiu ao uso obrigatório da burka entre as mulheres islâmicas como um exemplo de violação aos direitos delas.

"(A burka) dificulta muito o acesso da mulher ao mercado de trabalho", exemplificou a ministra, segundo quem é "difícil imaginar que uma mulher usa uma burka voluntariamente".

Heinisch-Hosek disse ainda que o uso da peça é, "inequivocamente, um meio de repressão", já que a "mulher tem que se cobrir para que ninguém consiga ver seu rosto".

Quanto ao uso do véu, a ministra afirmou que "as mulheres devem decidir por si próprias". Ela também reconheceu que vários motivos fazem as mulheres usar o pano. EFE as/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG