Governo argentino quer antecipar eleição legislativa para junho

BUENOS AIRES (Reuters) - A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, vai apresentar ao Congresso uma proposta de antecipar para junho as eleições legislativas previstas para outubro, disse nesta sexta-feira uma fonte do governo. A medida seria uma forma encontrada pelo governo para evitar um impacto político negativo da crise econômica global, de acordo com analistas.

Reuters |

Um dia antes, o prefeito de Buenos Aires anunciou que as eleições para a Câmara de Vereadores da cidade seriam antecipadas, o que também teria sido motivado por temores de consequências da crise.

Segundo meios de comunicação locais, Cristina Kirchner pretende enviar o projeto de mudança das eleições a tempo para que o pleito seja realizado em 28 de junho. Uma fonte do governo confirmou à Reuters que a presidente vai apresentar o projeto ao Congresso.

Metade das cadeiras na Câmara dos Deputados e um terço do Senado estarão em disputa nessas eleições.

"Acho que estão fazendo isso porque estão com medo que o impacto da crise global seja maior em outubro do que neste momento", disse a analista política Graciela Romeri.

Não foi informado se a mudança de data se aplicaria a todo o país, que tem a 3a maior economia da América Latina.

As eleições, que estavam marcadas para outubro, representam um grande desafio para Cristina Kirchner, que viu sua popularidade cair bastante desde que substituiu seu marido, Néstor Kirchner, na Presidência do país, em dezembro de 2007.

A economia da Argentina está enfraquecendo após seis anos de crescimento robusto, mas até agora os impactos da crise financeira não resultaram em demissões e problemas bancários, como em outros países.

(Por Helen Popper e Lucas Bergman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG