Justiça investiga se houve tentativa de suborno de deputados com compra de votos por parte do governo, como acusa oposição

O governo argentino não conseguiu nesta quarta-feira a aprovação do orçamento para 2011, por falta de quórum na Câmara dos Deputados, onde é minoria.

Compareceram à sessão 117 deputados governistas, quando era necessária a presença de 129. Semana passada, o governo também perdeu a votação por 117 a 112, e o projeto foi devolvido às comissões.

A oposição acusa o governo da presidente Cristina Kirchner de tentar subornar deputados, comprando votos para facilitar a aprovação dos projetos encaminhados pelo Executivo. A Casa Rosada, segundo as denúncias, teria oferecido propinas para tentar passar no Legislativo a proposta de orçamento para o ano que vem.

Investigação

Segundo o jornal Clarín, a Justiça começou a investigar formalmente as supostas tentativas de suborno denunciadas pela oposição. De acordo com a juíza federal María Servini de Cubría, as deputadas Cynthia Hotton e Elsa Alvarez disseram ter recebido ligações do governo para facilitar a aprovação do projeto do governo.

A presidente Cristina Kirchner rechaçou as acusações, dizendo que "todos fazem negociações" e pediu para que "se desmistifique a ideia de que negociações e acordos são algo ruim para a política".

*Com AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.