Governo argentino envia ao Congresso projeto para adiantar eleições legislativas

A presidente Cristina Kirchner enviou nesta segunda-feira à Câmara dos Deputados argentina um projeto que propõe adiantar as eleições legislativas de outubro para junho, donde el oficialismo pretende aprobarlo este miércoles, aunque el grueso de la oposición anticipó su rechazo.

AFP |

A maior parte da oposição se manifestou contra a proposta, mas a bancada governista, que é maioria na casa, deve aprová-la na quarta-feira.

"Temos os votos necessários para aprovar (o projeto), com nossos próprios deputados e aliados que formam o núcleo duro que acompanha o governo no Congresso", disse Agustín Rossi, chefe da bancada kirchnerista na câmara baixa, em declarações transmitidas pela televisão.

A mudança no cronograma eleitoral foi anunciada inesperadamente na sexta-feira pela presidente argentina, que justificou sua decisão afirmando querer desvincular o debate político interno da crise internacional.

O projeto de lei estabelece o dia 28 de junho como a nova data do pleito, que renovará metade da Câmara dos Deputados e um terço do Senado, ambos dominados atualmente por parlamentares ligados ao governo de Cristina Kirchner.

A proposta precisa de maioria absoluta para ser aprovada, o que significa 129 votos na Câmara dos Deputados e 37 no Senado, para onde deve seguir na próxima semana se não for barrada.

Para alguns analistas, a manobra do governo tem como objetivo enfraquecer a oposião, que está fragmentada em diversas frentes e ainda não conseguiu definir seus candidatos para a votação.

jos/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG