Governo argentino confirma pelo menos 163 mortes por gripe

Buenos Aires, 20 jul (EFE).- Pelo menos 163 pessoas morreram em decorrência da gripe suína na Argentina, o segundo país do mundo com mais casos de óbitos pela doença, confirmaram hoje fontes oficiais.

EFE |

"Segundo as últimas informações, temos de 163 a 165 mortos pela doença e outros pacientes falecidos com a presença do vírus se somarão a esse número", disse o ministro da Saúde da Argentina, Juan Manzur, em declarações a uma rádio local.

As consultas nos centros de saúde de pacientes com sintomas da gripe "caíram em 30%, mas isto não significa que estejamos bem.

Estamos melhor, mas o nível de alerta continua", afirmou Manzur.

Em declarações à "Rádio 10", de Buenos Aires, Manzur afirmou que 95% das pessoas que tiveram contato com o vírus "não apresenta sintomas e somente uma pequena percentagem foi a consultas em algum centro de saúde".

"E só uma pequena porcentagem fica internada em tratamento intensivo e uma porcentagem muitíssimo menor morre", assinalou.

Manzur disse que a presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, "está fazendo gestões para que o país seja destinatário das vacinas" contra a gripe que estão sendo desenvolvidas.

"Argentina vai comprar as vacinas dentro do fundo rotatório da Organização Pan-Americana da Saúde", disse Manzur, que acrescentou que seu país também tem condições de fabricar a vacina em laboratórios locais.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE nk/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG