Buenos Aires, 6 mar (EFE).- O Governo argentino acusou nesta sexta-feira os juízes de prolongar com refutações e nulidades infundadas as causas por violações dos direitos humanos cometidos pela última ditadura militar no país (1976-1983).

Ao responder a declarações da juíza suprema Carmen Argibay, que na quinta-feira reivindicou maior orçamento para o Poder Judiciário, o ministro da Justiça, Aníbal Fernández, disse que muitos juízes tiveram "atitudes conservadoras".

"Permitiram que os processos nos quais os repressores são acusados sejam de 'chiclete', porque são esticados para que vençam os prazos processuais", destacou em declarações ao canal de televisão "C5N".

Carmen assegurou que se a presidente argentina, Cristina Fernández, quer que os julgamentos contra os repressores sejam acelerados, como reivindicou mais de uma vez, é preciso mais juízes". EFE cw/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.