brasileiros vítimas de um ataque que deixou 14 feridos no Suriname, na véspera de Natal. A revelação foi feita neste sábado pelo embaixador do Brasil no Suriname, José Luiz Machado e Costa." / brasileiros vítimas de um ataque que deixou 14 feridos no Suriname, na véspera de Natal. A revelação foi feita neste sábado pelo embaixador do Brasil no Suriname, José Luiz Machado e Costa." /

Governo analisa envio de ajuda a vítimas de ataque no Suriname

O governo brasileiro analisa o envio de suprimentos para os http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/12/26/ataque+contra+brasileiros+no+suriname+deixa+ao+menos+14+feridos+9256343.html target=_topbrasileiros vítimas de um ataque que deixou 14 feridos no Suriname, na véspera de Natal. A revelação foi feita neste sábado pelo embaixador do Brasil no Suriname, José Luiz Machado e Costa.

BBC Brasil |

Segundo ele, um total de 81 brasileiros foram transportados da região de Albina, cidade onde ocorreu o ataque, para Paramaribo, a capital do Suriname. Desse total, 14 estão feridos, sete deles em estado grave.

As autoridades do Suriname abriram uma investigação para apurar as circunstâncias do ataque no norte do país.

De acordo com o Itamaraty, o ataque, na véspera do Natal, teria sido uma vingança pelo suposto assassinato de um morador local, que seria surinamês, por um brasileiro.

Facões
Segundo o embaixador brasileiro no Suriname, a maioria dos cerca de dois mil brasileiros em Albina se dedica ao garimpo.

A agência de notícias Caribbean Media Corporation informou que a comunidade local usou machados e facões para atacar brasileiros e também chineses.

Em uma coletiva, ministro da Polícia e Justiça do Suriname, Chandrikapersad Santokhi, disse que "não há justificativa para o que aconteceu".

O ministro acrescentou que vários suspeitos pelo ataque já foram presos.

Estupros
Autoridades de segurança informaram que há relatos de que pelo menos 20 mulheres brasileiras, incluindo uma mulher grávida, teriam sido estupradas durante o incidente.

Também há informações de que vários prédios, entre eles um shopping center, um supermercado e um posto de combustível, foram queimados ou saqueados.

Membros do Exército e da Polícia foram mobilizados para conter os ataques e saques, pacificando a região.

Albina tem cerca de cinco mil habitantes e é o principal ponto de travessia entre o Suriname e a Guiana Francesa.

Leia mais sobre Suriname

    Leia tudo sobre: brasilbrasileirossuriname

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG