Governo americano estuda levar presos de Guantánamo para os EUA

Washington, 3 ago (EFE).- O Governo dos Estados Unidos estuda a transferência de alguns dos detidos na base naval de Guantánamo (Cuba) para uma prisão dentro do país com salas de julgamento, informou hoje a imprensa americana.

EFE |

O jornal "The Washington Post" e outras publicações, que citam como fontes funcionários do Governo não identificados, disseram que os supostos terroristas podem ser levados para uma prisão militar com características de um presídio civil de segurança máxima.

Em 2002, os EUA começaram a levar para Guantánamo centenas de homens capturados como terroristas em vários lugares do mundo. No começo deste ano, pouco depois de assumir a Presidência do país, Barack Obama prometeu que fechará a prisão no início de 2010.

Em todos esses anos, grupos de defesa dos direitos humanos e inúmeros Governos aliados de Washington criticaram o tratamento dado aos presos de Guantánamo. Pressionado, os EUA foram libertando alguns dos detidos. Hoje, 350 homens permanecem no centro de detenção.

A prisão de segurança máxima para onde os detidos deverão ser levados seria administrada pelo Pentágono, o Departamento de Justiça e o Departamento de Segurança Nacional. "Cada uma destas agências assumiria a responsabilidade por diferentes grupos de presos", segundo o "Post".

O presídio talvez abrigue os detidos sem previsão de serem soltos e os que já tiveram sua liberdade aprovada mas que não encontram um país que os aceite, acrescentou o jornal.

"Os condenados por um tribunal federal ou pelos tribunais militares poderiam cumprir lá sua sentença", destaca o "Post".

As fontes ouvidas disseram ainda que as autoridades estão em dúvida entre uma prisão militar de Fort Leavenworth, no Texas, e uma prisão federal de segurança máxima em Standish, no estado de Michigan. EFE jab/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG