Governo americano autoriza vendas agrícolas para Cuba

Os Estados Unidos autorizaram nesta terça-feira a venda de 250 milhões de dólares em produtos, especialmente alimentos e material para o trabalho de reconstrução, como ajuda diante do quadro de emergência após os furacões Ike e Gustav, informou a missão de Washington em Havana.

AFP |

As licenças para a venda de produtos agrícolas foram aprovadas após a passagem de Ike, que varreu Cuba há uma semana, e o material de construção, especialmente madeira, está incluído, destaca um relatório do Departamento de Estado, entregue à imprensa pela Seção de Interesses dos Estados Unidos em Cuba (Sina).

No domingo, Cuba rejeitou uma doação de 5 milhões de dólares dos Estados Unidos, mas pediu a suspensão do embargo sobre materiais de construção e o acesso a créditos para adquirir alimentos, por pelo menos seis meses.

"É mais ou menos o que estão pedido, crédito não, porque nossa legislação proíbe. Terá de ser por meio de terceiros. A licença inclui comestíveis e madeira", disse um funcionário da Sina à AFP.

O informe do Departamento de Estado destaca que se "considera caso a caso o pedido de Cuba para comprar outros materiais de construção, segundo indica a lei americana".

De qualquer maneira, o governo dos EUA já autorizou o envio de 10 milhões de dólares, por intermédio de uma ONG, além de ressaltar que foram canalizados "mais de 5 milhões em doações privadas".

"Durante um período de 90 dias, os Estados Unidos expedirão, com rapidez, os pedidos de ajuda humanitária imediata em quantidades de até 10 milhões de dólares por ONG, levando-se em conta as restrições adequadas", explicou o texto.

"Estimula-se os indivíduos e as organizações interessadas a ajudar as vítimas dos furacões em Cuba a que ofereçam suas doações a organizações humanitárias de boa reputação que tenham as licenças necessárias para enviar ajuda humanitária" para a ilha, completou o documento.

"O governo dos Estados Unidos aumentou a autorização existente para as ONGs com sede nos EUA para que proporcionem quantias maiores em assistência humanitária, incluindo doações monetárias", acrescentou.

mis/LR/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG