Governo alemão comemora fim da prisão de Guantánamo

Berlim, 23 jan (EFE).- O Governo alemão celebrou hoje a ordem do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de fechar, no prazo de um ano, a prisão para terroristas que funciona na base naval de Guantánamo (Cuba).

EFE |

O porta-voz do Governo alemão, Ulrich Wilhelm, disse que o fechamento do local servirá para por um "ponto final em um difícil capítulo das relações transatlânticas".

Wilheim, no entanto, evitou fazer comentários sobre a possibilidade de a Alemanha receber prisioneiros de Guatánamo.

Um porta-voz do Ministério de Exteriores alemão, afirmou hoje que já houve contatos "de diferentes níveis" entre Berlim e Washington, mas admitiu que não foi feito nenhum pedido oficial.

A Áustria, por sua vez, já definiu sua posição e não está disposta a receber prisioneiros de Guatánamo.

Michael Spindelegger, ministro de Relações Exteriores austríaco, disse que seu país não receberá os terroristas e que cabe aos EUA encontrarem uma solução.

"No meu ponto de vista, há uma resposta clara: não. Quem cria um problema, também tem que solucioná-lo", disse à rádio pública "ORF".

A detenção prolongada de supostos terroristas e a permanência deles na prisão sem acusações formais foram objeto de críticas dos aliados de Washington e de denúncias dos grupos de defesa dos direitos humanos.

Durante sua campanha para presidente, Obama prometeu que fecharia Guantánamo, para onde, desde 2002, eram levados os suspeitos de terrorismo capturados, sobretudo, nos conflitos no Afeganistão e no Iraque. EFE ih/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG