Governo aceita limitar salário de executivos de Wall Street

Washington, 24 set (EFE).- O Governo dos Estados Unidos aceitou hoje estipular um teto para os salários de executivos das instituições financeiras que se beneficiem do programa de resgate negociado com o Congresso, após ceder às pressões de legisladores de ambos os partidos do país.

EFE |

O secretário do Tesouro, Henry Paulson, fez a concessão no início de um comparecimento perante a Comissão de Serviços Financeiros da Câmara de Representantes, onde, pelo segundo dia consecutivo, tentou acabar com as dúvidas dos congressistas sobre o plano.

Até ontem, o secretário do Tesouro tinha argumentado que limitar o salário dos diretores faria com que alguns bancos não participassem dos leilões em que o Governo pretende adquirir com o menor preço possível os títulos de dívida de má qualidade em suas bolsas.

Vários legisladores tinham exigido a medida, que também conta com o apoio dos candidatos presidenciais, o democrata Barack Obama e o republicano John McCain.

No entanto, Paulson não cedeu sobre a outra reivindicação de alguns legisladores, que pediam que as empresas entregassem ações ao Governo pelo direito de se desvencilhar de sua dívida.

"Entendo o ponto de vista que ouvi de muitos dos senhores de ambos os partidos, que pediram que o contribuinte compartilhe com o sistema financeiro os benefícios deste plano", disse Paulson.

O secretário não disse que sim à exigência sobre as ações, mas enfatizou que a proposta em seu conjunto beneficiará os americanos, já que "o sistema financeiro frágil atual põe em risco seu bem-estar econômico". EFE cma/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG