Governador liberta irmãs presidiárias para que uma doe rim para a outra

Sentença de Jamie e Gladys Scott será suspensa por tempo indefinido para que transplante seja feito

BBC Brasil |

selo

AP
Jamie Scott, que precisa de um transplante de rim, em foto de agosto
Duas irmãs americanas que foram condenadas à prisão perpétua por assalto a mão armada serão libertadas com a condição de que uma doe um rim para outra.

O governador do Estado americano do Mississippi, Haley Barbour, disse que suspenderá a sentença de Gladys Scott por tempo indefinido se ela oferecer um de seus rins para a irmã mais velha, Jamie.

Jamie será libertada da prisão no Mississippi, onde também está sua irmã, pois precisa de um transplante de rim. Aos 38 anos, ela sofre de falência renal e precisa fazer diálise diariamente.

AP
Gladys Scott, que deve doar um rim para a irmã, em foto de junho
De acordo com a repórter da BBC nos Estados Unidos Vanessa Buschschluter, o caso das irmãs Scott atraiu grande atenção no Mississippi, em grande parte pelo drama inusitado envolvendo duas irmãs presidiárias como também por revelar que elas tinham sido condenadas à prisão perpétua por um assalto à mão armada, uma pena considerada excessivamente severa.

Sem perdão

A repórter da BBC afirma que o governador do Mississippi, o republicano Haley Barbour, nega estar perdoando as duas irmãs. Barbour afirmou que está suspendendo a sentença por tempo indefinido pois as duas não apresentam mais risco à sociedade. No entanto, ele se recusa a reduzir as sentenças.

A repórter da BBC afirma que, em teoria, Gladys poderá voltar para a prisão caso se recuse a doar o rim para a irmã mais velha. No entanto, o advogado das duas afirma que isto não deve acontecer, já que Gladys se ofereceu para doar o órgão para Jamie.

Jamie e Gladys Scott foram condenadas em 1994. Elas atraíram dois homens para uma emboscada, onde as vítimas foram agredidas e roubadas em US$ 11 (cerca de R$ 18,50). A sentença das irmãs foi duramente criticada por ativistas defensores de direitos humanos.

    Leia tudo sobre: mississipieuajustiçatransplanterim

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG