Governador do Novo México pedirá que Chávez ajude americanos reféns das Farc

Washington, 23 abr (EFE).- O governador do Novo México e ex-pré-candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Bill Richardson, irá até a Venezuela, onde, na sexta-feira, conversará com o presidente desse país, Hugo Chávez, sobre os reféns americanos em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

EFE |

Em entrevista coletiva concedida hoje em Santa Fé (EUA), Richardson, que coordena sua viagem com o Departamento de Estado, mas que ressaltou que a visita não será oficial, declarou que os familiares dos três reféns é que pediram sua mediação no caso.

"Vamos ver se Chávez pode ser um mediador e ajudar. Não é fácil falar com as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia)", declarou Richardson.

Durante sua estada em Caracas, o governador também se reunirá com o embaixador americano na capital venezuelana, Patrick Duddy.

No mês passado, Richardson esteve na Colômbia para se reunir com o presidente Álvaro Uribe.

Na entrevista desta quarta-feira, ele explicou que, antes de tentar negociar com as Farc, quer se reunir com os líderes dos dois países.

Richardson, que durante o mandato do presidente Bill Clinton foi embaixador na ONU e secretário de Energia, já negociou a libertação de reféns americanos na Coréia do Norte, no Sudão e no Iraque.

No entanto, o governador disse que ninguém deve criar expectativas quanto a uma libertação imediata dos reféns.

"O que tentarei fazer com o presidente Chávez é conseguir que ele nos ajude na libertação dos três americanos e de outros (reféns) colombianos", entre eles a ex-candidata Ingrid Betancourt, explicou.

Os americanos em poder das Farc são Keith Stansell, Thomas Howes e Marc Gonsalves, seqüestrados no sul da Colômbia em 2003, depois que o avião em que estavam caiu. EFE mv/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG