Governador de Teerã diz que só Justiça soltará detidos em protestos

Teerã, 19 jul (EFE).- O governador de Teerã, Morteza Tamadon, afirmou hoje que os detidos durante os protestos contra os resultados das eleições de 12 de junho só serão libertados caso sejam inocentes.

EFE |

Segundo a agência "Fars", a declaração foi uma resposta do governador da capital iraniana ao ex-presidente Ali Akbar Hashemi Rafsanjani, que no sermão oficial da sexta-feira pediu a libertação dos detidos nos distúrbios.

"Nossa postura a respeito da libertação dos detidos é atuar dentro da lei", disse Tamadon, para quem "alguns (dos presos) estavam diretamente ligados com estrangeiros e os grupos moharib (a pessoa que está em guerra com Deus e seu profeta)".

O governador acrescentou: "Se estas pessoas foram processadas e o crime delas for confirmado, não é possível esperar que sejam libertadas".

"Tal como insistiu Rafsanjani, é preciso atuar dentro da lei", disse Tamadon, que acrescentou que os detidos "causaram danos as propriedades e a vida do povo".

Várias cidades iranianas, especialmente Teerã, foram cenário de maciças manifestações depois que o Ministério do Interior deu a vitória nas eleições presidenciais ao atual chefe de Estado irtaniano, o ultraconservador Mahmoud Ahmadinejad.

Os protestos foram duramente reprimidos pela Polícia e os basij (milícia islâmica pró-governista). Nos confrontos, dezenas de pessoas morreram e milhares ficaram feridas, segundo números oficiais. EFE msh/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG