Governador de província quer negociar com chefe rebelde na RDC

Kinshasa, 2 dez (EFE).- Julien Paluka, governador da província de Kivu Norte, na República Democrática do Congo (RDC) de Kivu Norte, Julien Paluka, declarou estar disposto a negociar diretamente com o chefe dos rebeldes tutsis da região, Laurent Nkunda, informou hoje a Missão da ONU no país (Monuc).

EFE |

"Se receber um telefonema de Nkunda, estarei disposto a negociar com ele imediatamente", declarou Paluka, após ressaltar que o Governo central de Kinshasa não se opõe a tal iniciativa.

No entanto, a oferta do governador foi rejeitada pelos rebeldes do Congresso Nacional para a Defesa do Povo (CNDP), que não consideram Paluka suficientemente importante para negociar com Nkunda.

"Que valor tem a palavra do governador de uma província em relação à de um ministro ou do presidente Joseph Kabila?", comentou o porta-voz do CNDP, Bertrand Bisimwa, reafirmando sua intenção de negociar diretamente com o Governo.

Kinshasa afirma que o diálogo com o CNDP é possível, mas somente dentro das normas do programa de paz "Amani", adotado em janeiro em Goma com reivindicações de todos os grupos armados do país.

No âmbito diplomático, a secretária de Estado de Direitos Humanos francesa, Galho Yade, ratificou ontem em Kinshasa o apoio de seu país ao Governo de Joseph Kabila e à RDC na luta contra a rebelião.

"Expressei com muita clareza o apoio da França às autoridades congolesas e a solidariedade do povo francês ao povo congolês", disse Yade após se reunir com Kabila.

Ela ressaltou que "o Governo de Joseph Kabila foi eleito legitimamente e a instabilidade no leste do país foi criada por grupos rebeldes".

Yade lamentou ainda a violência sexual que sofrem as mulheres da RDC e a falta de atendimento médico em Kivu Norte. EFE py-st/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG