Governador de Pando rejeita participação de brasileiros em protestos

La Paz, 13 set (EFE) - O governador regional de Pando, o opositor Leopoldo Fernández, rejeitou que brasileiros tivessem sido pagos para participar dos protestos que ocorrem no departamento boliviano contra o Governo de Evo Morales. Fernández criticou a habilidade do Governo para desvirtuar as coisas e negou que sicários brasileiros e peruanos pagos tenham participado dos choques. Ele também desmentiu as informações de alguns veículos de comunicação sobre sua suposta fuga junto a alguns dirigentes cívicos ao Brasil, apesar da difícil situação que o departamento está atravessando e que sabem que correm perigo. Além disso, o governador regional se mostrou favorável a recorrer a instâncias totalmente imparciais para investigar os fatos violentos ocorridos em sua região. Fernández aproveitou a ocasião para acusar o Governo boliviano de planejar o massacre ocorrido na região, e denunciou que os setores afins ao presidente do país, Evo Morales, estavam armados há dias. O choque violento de quinta-feira que deixou 16 mortos nesse departamento amazônico, no norte do país, obedece a uma estratégia planejada desde o Governo que já vinha sendo implementada há bastante tempo, disse Fernández em entrevista à Radio Fides. Havia uma intenção de criar uma indisposição na população contra o Governo departamental para jogar em nós a culpa de tudo, afirmou Fernández, que acrescentou que o Executivo utilizou o conflito para decretar o estado de sítio em...

EFE |

) mas não acontece nada na prática", disse Fernández, que criticou que "enquanto Cossío entrava no Palácio de Governo, as autoridades emitiam o estado de sítio, tomavam o aeroporto (de Cobija) e amedrontavam a população". EFE lav/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG