Gordon Brown pede suspensão da colonização israelense na Cisjordânia

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, pediu este domingo em Belém a suspensão da colonização israelense e anunciou novas medidas para impulsionar a economia palestina, durante sua primeira visita a Israel e à Cisjordânia desde que sucedeu Tony Blair em junho de 2007.

AFP |

"Queremos ver uma suspensão da colonização. A expansão da colonização faz com que a paz seja mais difícil de ser alcançada", declarou Brown em uma entrevista coletiva à imprensa em Belém ao lado do presidente palestino Mahmud Abbas.

A colonização "mina a confiança, agrava o sofrimento dos palestinos e torna mais difíceis os compromissos que Israel terá que estabelecer para a paz", insistiu.

O muro de separação na Cisjordânia que Bown teve que cruzar para ir a Belém "é uma prova evidente da necessidade urgente de justiça para os palestinos, (da necessidade) de se pôr fim à ocupação e (de criar) um Estado palestino viável", destacou o líder britânico.

Israel classifica de "barreira de segurança" esse obstáculo que cortará em 723 km a Cisjordânia, e considera que constitui uma medida legítima que já se mostrou eficaz frente aos atentados palestinos.

Os palestinos o chamam de "muro do apartheid", já que limita a Cisjordânia, e denunciam a separação deste território.

No âmbito econômico, Brown anunciou "um investimento suplementar de 60 milhões de dólares, 30 deles diretamente em apoio ao orçamento (público), com o qual a ajuda total (britânica) à Autoridade Palestina deste ano chegará a 175 milhões de dólares".

A Grã-Bretanha se comprometeu a impulsionar o desenvolvimento da economia palestina com 500 milhões de dólares (cerca de 316 milhões de euros) até 2011, lembrou Brown.

bur-mel/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG