Gordon Brown diz que pode fazer melhor; pesquisa dá impulso

Por Sumeet Desai e Matt Falloon MANCHESTER, Inglaterra (Reuters) - O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Gordon Brown, disse que poderia fazer melhor no governo, mas descartou a possibilidade de renúncia.

Reuters |

Brown afirmou ainda ser a melhor pessoa para guiar a Grã-Bretanha pela tempestade financeira global.

Depois de uma semana que começou com pequenos protestos contra sua liderança e enormes quedas em bolsas de valores por todo o mundo, um sinal de esperança surgiu para o primeiro-ministro, com uma pesquisa de opinião mostrando que a liderança da oposição diminuiu.

A pesquisa do jornal Independent de domingo, feita enquanto o governo realizou um plano de resgate emergencial do maior banco hipotecário do país, deu aos Conservadores, da oposição, uma liderança de 12 pontos a frente do Partido Trabalhista, ante a 21 anteriormente.

Mas, à medida que o Partido Trabalhista realiza sua conferência anual em Manchester, cidade do norte da Inglaterra, dúvidas permanecem se Brown, que não tem o charme de Tony Blair, terá chances de reviver a fortuna do partido a tempo para uma eleição em 2010.

Os eleitores parecem estar fartos dos 11 anos do Partido Trabalhista no poder. A economia, que já foi a jóia do partido, está à beira da recessão pela primeira vez desde 1992, com a inflação e o desemprego em ascensão.

'Eu sempre quis fazer o melhor, e eu irei melhor,' disse Brown à rede de televisão BBC. 'Eu fui ministro das Finanças por 10 anos. Eu tenho experiência para lidar com esses eventos', acrescentou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG