Gordon Brown diz que crise no Zimbábue é uma emergência internacional

Londres, 6 dez (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, disse hoje que a crise no Zimbábue virou uma emergência internacional, razão pela qual pediu ao mundo que se una para dizer basta ao presidente Robert Mugabe.

EFE |

Em um comunicado, Brown argumentou que a crise no país africano, iniciada em 2000 e que se agravou nas últimas semanas com o alastramento de uma epidemia de cólera, "é internacional porque as doenças cruzam fronteiras" e porque "os sistemas do Governo do Zimbábue estão partidos".

"Não há um Estado capaz ou disposto a proteger sua gente", afirmou o primeiro-ministro britânico.

Brown destacou que, justo quando se comemora o 60º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a comunidade internacional deveria se unir "para defender os direitos humanos e a democracia, e para dizer firmemente a Mugabe que já chega".

O chefe do Executivo britânico disse que a prioridade agora é evitar mais mortes com a distribuição de ajuda humanitária Brown explicou que esteve em contato com líderes africanos para impulsionar uma ação mais firme "a fim de dar aos zimbabuanos o Governo que se merecem".

Além disso, disse esperar que o Conselho de Segurança (CS) da ONU se reúna urgentemente para tratar da situação no país.

"O povo do Zimbábue votou por um futuro melhor. É nossa obrigação apoiar esse desejo", disse.

A crise econômica, política e social do Zimbábue piorou significativamente nas últimas semanas com uma epidemia de cólera, doença que já teve 12 mil caso diagnosticados e matou cerca de 600 pessoas. EFE jm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG