Google: todas as músicas da história caberão na palma da mão

Gijón (Espanha), 21 out (EFE).- Em alguns anos, todas as músicas da história caberão em um dispositivo do tamanho da palma da mão e, depois, será possível armazenar todo o conteúdo audiovisual, segundo antecipou hoje um alto diretor da Google.

EFE |

A empresa receberá na sexta-feira na cidade de Oviedo, no norte da Espanha, o Prêmio Príncipe de Astúrias de Comunicação e Humanidades por permitir a "milhões de usuários de todo o mundo ter acesso a um universo de conhecimentos e informação de forma extraordinariamente rápida e organizada".

O responsável do Google Books para a Espanha e Portugal, Luis Collado, realizou uma conferência no campus de Gijón da Universidade de Oviedo em um ato organizado pela Fundação Príncipe de Astúrias, que entregará seus prêmios nesta sexta-feira no Teatro Campoamor desta cidade espanhola.

Ele antecipou que em "alguns anos" todas as músicas da história caberão em um dispositivo do tamanho da "palma da mão" e, pouco depois, será possível armazenar todo o conteúdo audiovisual.

"Estamos sendo testemunhas de uma mudança completa na sociedade em que vivemos. A web revolucionou o mundo e a Google" a tornou "mais acessível", avaliou.

O "desafio" atual para a Google e o universo digital, opinou, é transferir para a rede todos aqueles documentos gerados antes da era da internet.

Em alguns casos, isso já foi feito e através do site de buscas é possível ler um "jornal editado em 1850".

Segundo explicou, digitalizar os "milhões de livros" que compõem a biblioteca do Congresso dos Estados Unidos custaria "apenas" 2.500 euros (US$ 3.300).

A internet oferece "imediatismo e gratuidade" e a interatividade de 1.200 milhões de usuários, mas em alguns casos carece de "confiabilidade", reconheceu Collado.

Neste sentido, admitiu que a Google não tem capacidade para criar nem editar conteúdos, como também não para dizer "o que é bom e o que não é", tarefa que relega aos internautas.

O site de busca trabalha em três linhas gerais: o fomento da interação, a documentação e o uso de ferramentas que estimulam o trabalho em equipe em tempo real.

Embora muitos usuários não saibam, comentou, a caixa de busca do site serve também como máquina de calcular, dicionário e conversor de moeda.

Assim, advertiu que a Google não pode garantir que seus rastreamentos se realizem em todas as páginas da internet, pois constantemente estão se criando domínios e acrescentando informação aos existentes.

Com relação ao serviço de livros que existe há quatro anos, ele explicou que a ferramenta conta com um milhão de obras na rede e a colaboração de 20 mil editoras.

Por último, Collado afirmou que o Prêmio Príncipe de Astúrias representa "um impulso" e um "reconhecimento" do trabalho de sua empresa, que a faz se sentir "segura" de contribuir para o "crescimento" e "conhecimento" da sociedade. EFE asg/ab/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG