Google fecha acordo com escritores e editores para digitalizar livros

San Francisco, 28 out (EFE).- O Google anunciou hoje um acordo com as associações americanas de autores e editores -Authors Guild e Associação Americana de Editores, respectivamente- na disputa judicial sobre seu projeto de digitalização de livros.

EFE |

O acordo permitirá a escritores e editores receber uma compensação econômica pela publicação de suas obras através do Google Book Search, um serviço do site que permite acessar milhões de livros na Internet.

Concretamente, o Google aceitou pagar US$ 125 milhões que, segundo um comunicado da empresa, serão usados "na criação de um registro de direitos editoriais, no pagamento de custos legais e para resolver atuais denúncias de autores e editores".

O Google está digitalizando os acervos de algumas das principais bibliotecas de EUA, entre elas a biblioteca pública de Nova York e as das universidades Stanford e Harvard.

A Authors Guild, que representa mais de 8 mil escritores, processou o Google há três anos, sustentando que o projeto de digitalização era uma infração em massa dos direitos autorais e de propriedade intelectual.

O acordo anunciado hoje permitirá ao Google pôr à disposição dos internautas páginas inteiras das obras que está digitalizando. Os usuários poderão ver de graça até 20% do livro e depois decidir se desejam adquirir o resto, explicou a firma.

Além disso, todas as livrarias públicas dos EUA oferecerão um portal na Internet de acesso gratuito à coleção de obras digitalizadas pelo Google e seus usuários poderão realizar impressões em troca do pagamento de taxas.

O site de buscas oferecerá, além disso, assinaturas institucionais a colégios e universidades.

"Este acordo histórico faz com que ganhemos todos", disse Richard Sarnoff, presidente da Associação Americana de Editores, em comunicado oficial.

Por sua parte, Serguei Brin, co-fundador e responsável de tecnologia do Google, assinalou que a missão do site "é organizar a informação mundial e torná-la universalmente acessível e útil".

"Junto a escritores, editores e bibliotecas hoje conseguimos dar um grande passo nesta tarefa", afirmou. EFE pg/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG