A gigante da internet Google anunciou nesta segunda-feira a demissão de Arthur Levinson, um dos diretores da empresa e que também faz parte do Conselho de Administração da empresa de computadores Apple. A decisão foi bem recebida pela Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês), que está investigando há alguns meses se as empresas estariam infringindo leis antistruste e se a presença de Levinson nos dois conselhos poderia prejudicar a competição entre as gigantes de informática.

A presença de um executivo na diretoria de duas empresas é proibida pelo Ato Clayton Antitruste, de 1941, segundo o qual um executivo não pode ser diretor de duas firmas rivais ao mesmo tempo se isso reduz a competição entre elas.

Rivalidade
Tanto a Apple quanto o Google oferecem serviços como navegadores de internet e sistemas de operação telefônica.

No entanto, as empresas trabalharam juntas recentemente para criar versões de alguns dos serviços do Google, como Gmail e Google Maps para o iPhone, da Apple.

Segundo analistas, as duas companhias costumavam ser vistas como aliadas contra a dominação da Microsoft, mas começaram a competir diretamente nos últimos anos em áreas como telefones celulares.

Em agosto, o diretor executivo do Google, Eric Schmidt, renunciou ao cargo no Conselho da Apple, alegando o aumento da rivalidade entre as duas empresas como a razão para a renúncia.

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore, é a última relação entre a diretoria das duas empresas - ele é membro do Conselho da Apple e também trabalha como conselheiro para o Google.

Em maio, o jornal americano The New York Times publicou uma reportagem que afirmava que o FTC estava investigando a direção das duas empresas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.