Golpistas não fixam data para eleições na Mauritânia

Nuakchott, 7 ago (EFE).- Os generais que perpetraram nesta quarta-feira um golpe de Estado na Mauritânia anunciaram a realização de eleições presidenciais o mais rápido possível, mas sem fixar uma data, informou hoje a emissora pública de TV local.

EFE |

"As eleições serão livres e transparentes", asseguraram os generais golpistas em comunicado lido na televisão pública.

Além disso, os golpistas, que comunicaram a criação de um "Conselho de Estado" presidido pelo general Ould Abdel Aziz, até agora chefe da guarda presidencial, assinalaram que o país será governado por 11 comandantes militares.

O levante militar aconteceu depois de o presidente mauritano, Sidi Mohammed Ould Cheikh Abdallahi, ordenar a destituição de Ould Abdel Aziz e de Mohammed Ahmed Ghazouani, chefe do Exército.

Forças do Exército mauritano ocuparam nesta quarta-feira a sede da rádio e da televisão estatal, e se desdobraram em frente ao palácio presidencial e às principais sedes administrativas de Nuakchott. EFE rma/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG