Golpistas impõem toque de recolher e fecham fronteiras no Níger

Niamey, 18 fev (EFE).- O Conselho Supremo para a Restauração da Democracia (CSRD), grupo que protagonizou hoje um golpe de Estado no Níger, decretou a suspensão da Constituição, estabeleceu toque de recolher e fechou as fronteiras do país.

EFE |

Em comunicado transmitido pela rede de televisão pública "Télé Sael", foi anunciado o fechamento das fronteiras terrestres e aéreas, assim como o toque de recolher entre as 18h e 6h.

Depois, um porta-voz do CSRD, o coronel Goukoye Abdoulkarim, decretou em mensagem lida por rádio a suspensão da Constituição e a dissolução de todas as instituições do Estado.

O presidente Tandja e vários membros do Governo podem estar em poder dos golpistas, que atacaram hoje o palácio presidencial de Niamey no momento de uma reunião de ministros. Tiros foram ouvidos durante quase três horas nas imediações do local.

Segundo disseram à Agência Efe fontes do setor de saúde, o número de vítimas nos enfrentamentos entre as forças leais ao presidente e os responsáveis pela tentativa de golpe pode ser alto.

O Níger atravessa uma crise sociopolítica desde que, no plebiscito de 4 de agosto, Tandja conseguiu prolongar o mandato presidencial. O resultado do pleito foi amplamente contestado pela oposição.

Os opositores boicotaram as eleições legislativas que seguiram o plebiscito. A Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (Cedeao) suspendeu o Níger como membro.

Um dos países mais pobres do mundo e com piores índices de desenvolvimento humano, o Níger possui grandes reservas de urânio no norte do país, exploradas principalmente por uma companhia francesa.

EFE io/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG