GM oferece opção de demissão voluntária a 62.000 empregados sindicalizados

O construtor General Motors (GM) ofereceu um plano de demissão voluntária a seus 62.000 operários membros do sindicato americano (UAW), informou nesta quinta-feira um porta-voz da empresa à AFP.

AFP |

A proposta faz parte do plano de negócios que a montadora apresentará às autoridades federais para justificar os bilhões de dólares de ajuda recebidos.

A direção da GM espera que pelo menos 11.000 mecânicos aceitem o incentivo, que consiste em 20.000 dólares de indenização e um bônus de 25.000 dólares para a compra de um novo veículo.

Os operários filiados ao sindicato UAW possuem benefícios salariais herdados de antigas negociações há vários anos, considerados pela GM muito elevados, porque freiam sua produtividade.

A proposta "foi oferecida a todos", declarou à AFP Tom Wilkinson, um porta-voz da GM, e tem como objetivo permitir à empresa contratar novos operários com salários e com custos sociais menos elevados, assim que a atividade recomeçar.

A oferta deverá permitir aos funcionários enquadrados nas condições propostas deixar o grupo até 1º de abril, e se soma a um outro plano social anunciado na terça-feira, relacionado à supressão de 10.000 de seus funcionários administrativos no mundo, ainda este ano.

aa/chr/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG