Glitter volta à Tailândia depois de não conseguir entrar em Hong Kong

Bangcoc, 21 ago (EFE).- O veterano músico britânico Gary Glitter teve de voltar hoje para a Tailândia, depois de as autoridades chinesas impedirem sua entrada em Hong Kong.

EFE |

Glitter, que foi libertado depois de quase três anos detido no Vietnã por pedofilia, tinha viajado depois de deixar a prisão à Tailândia, onde é considerado "persona non grata".

O chefe do departamento da Polícia de Imigração do aeroporto de Bangcoc, o coronel Voravat Amorniwat, disse que o músico será encaminhado em um vôo ao Reino Unido.

Ele viajou a Hong Kong na noite de quarta-feira, um dia depois de ter sido expulso do Vietnã em um avião com destino a Bangcoc, onde se negou a continuar a viagem ao Reino Unido para tentar escapar da Justiça britânica.

Glitter, de 64 anos, foi detido em novembro de 2005 em Ho Chi Minh quando tentava viajar a Bangcoc, a capital tailandesa.

O músico era procurado pela Polícia local para prestar depoimento sobre as relações que mantinha com uma vietnamita menor de idade com a qual convivia na cidade de Vung Tau.

Cerca de três anos antes de ser detido no Vietnã, Glitter foi expulso do vizinho Camboja, um dos países da Ásia mais visitados por pedófilos. EFE grc/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG