Um homem suíço que admitiu ter seduzido várias mulheres ricas para extorquir milhões de dólares foi condenado a seis anos de prisão por um tribunal em Munique, na Alemanha. Entre as vítimas de Helg Sgarbi, apelidado de gigolô suíço pela mídia alemã, estava a mulher mais rica do país, Susanne Klatten, de 46 anos, herdeira da fábrica de automóveis BMW.

AP
Helg Sgarbi
Mídia apelidou Sgarbi de "gigolô suíço"

Segundo promotores, Klatten deu a Sgarbi, ex-funcionário de um banco de investimentos, quase US$ 9 milhões, mas registrou queixa na polícia quando ele tentou chantageá-la ameaçando divulgar um vídeo que mostrava ambos fazendo sexo no quarto de um hotel da cidade.

Klatten, uma empresária casada, mãe de três filhos, disse que Sgarbi, exigiu US$ 18 milhões.

O correspondente da BBC em Munique, Steve Rosenberg, disse que Sgarbi permaneceu sentado durante a audiência, impassível, enquanto as acusações eram lidas.

Seu advogado disse em seguida que as acusações eram precisas. Em um comunicado, o réu disse estar arrependido e pediu desculpas a suas vítimas. O caso atraiu grande interesse da mídia alemã, de acordo com Rosenberg.


Leia mais sobre chantagem

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.