Uma gestante em estado crítico após ter contraído a gripe suína foi transferida a um hospital da Suécia para receber os cuidados especializados de que precisa, conforme indicaram as autoridades escocesas.

A mulher, uma escocesa de 26 anos, foi transferida de avião para Estocolmo após manifestar uma violenta reação ao vírus da gripe A (H1N1).

A mulher chegou semana passada à cidade escocesa de Kilmarnock e foi ligada a um aparelho de respiração artificial, mas os médicos consideraram que ela precisava de uma oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO), um tratamento novo e complexo utilizado principalmente em casos de insuficiência respiratória aguda neonatal.

O problema é que apenas um hospital britânico oferece este tratamento na Grã-Bretanha, e as cinco camas disponíveis no centro situado em Leicester (centro da Inglaterra), estavam ocupadas.

Por isso, as autoridades de saúde britânica conseguiram autorização para procurar um leito disponível fora da União Europeia.

"Agora ela está em um hospital da Suécia, e os doutores estão satisfeitos com a reação dela na viagem", disse a ministra da Saúde escocesa Nicola Sturgeon. "Agora ela está recebendo o tratamento que lhe oferece as melhores chances de sobrevivência", acrescentou,

A Grã-Bretanha é o país da Europa mais afetado pela gripe suína, com 100.00O novos casos registrados semana passada, quase o dobro dos 55.000 da semana anterior, segundo uma nova estimativa anunciada nesta quinta-feira pelo ministério da Saúde.

O número de mortos é de 26 na Inglaterra e 4 na Escócia, segundo dados fornecidos pelas autoridades de ambas as regiões.

ra/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.