Por Matt Robinson TBILISI (Reuters) - A Geórgia disse na sexta-feira que forças separatistas na região rebelde da Abkházia, um protetorado russo, expulsaram dezenas de famílias georgianas durante a noite. As autoridades abkhazes rejeitaram a acusação.

Monitores desarmados da União Europeia na região disseram que pelo menos 40 georgianos da localidade de Otobaia acamparam durante a noite na fronteira entre Geórgia e Abkházia.

"Eles nos dizem que foram expulsos das suas casas", afirmou uma porta-voz da missão europeia, que fiscaliza o cessar-fogo em vigor desde a breve guerra de agosto entre Rússia e Geórgia. Os moradores dizem que foram "levados para o mato por milícias abkhazes".

Otobaia fica na região de Gali, no leste da Abkházia, onde há uma grande comunidade etnicamente identificada com a Geórgia, a qual se queixa de discriminações.

A Rússia entrou em guerra contra a Geórgia no ano passado para proteger as regiões separatistas da Abkházia e da Ossétia do Sul, que na prática se tornaram protetorados de Moscou.

O Ministério do Interior da Geórgia disse que cerca de 50 famílias foram expulsas de Otobaia por forças abkhazes que procuravam um morador da localidade.

"Eles foram de casa em casa e disseram (aos moradores) para saírem e não voltarem até que tenham entregado (o suspeito)", disse Shota Utiashvili, porta-voz do ministério georgiano.

A Rússia reconhece Abkházia e Ossétia do Sul como países independentes e tem milhares de soldados em ambas as regiões.

Utiashvili disse que o homem que está sendo procurado está hospitalizado na Geórgia depois de ser baleado por forças abkhazes.

Questionado sobre o suposto incidente, Ruslan Kishmaria, representante do governo abkhaz em Gali, disse à Reuters: "Isso é bobagem. Nada aconteceu ali".

Os monitores da UE não têm acesso às regiões separatistas.

O Ministério do Interior da Geórgia também acusou as forças russas de levarem veículos blindados pesados para a região de Gali.

A agência russa de notícias Interfax disse, citando informações de uma autoridade abkhaz, que um rodízio regular de forças russas está sendo realizado perto da fronteira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.