Geórgia volta a enviar tropas à zona de conflito com Ossétia do Sul

Tbilisi, 3 ago (EFE).- A Geórgia pode estar enviando tropas para a zona do conflito com a Ossétia do Sul, denunciou hoje o Comitê de Informação e Imprensa do Governo da região separatista.

EFE |

"Junto à fronteira da Ossétia do Sul, se observa movimentos de tropas das Forças Armadas da Geórgia", afirmam os separatistas em comunicado, no qual denunciam que, da base militar georgiana de Gori (situada cerca de 25 quilômetros ao sul de Tskhinvali, a capital da Ossétia do Sul), saiu uma coluna com peças de artilharia e duas baterias de morteiros, em direção à zona do conflito.

"Essas informações não correspondem à verdade. Não há movimentos de tropas nem envio de forças adicionais à zona do conflito", disse à agência Efe Shotá Utuashvili, porta-voz do Ministério do Interior da Geórgia.

A porta-voz do Governo da Ossétia do Sul, Irina Gaglóyeva, declarou, por sua parte, que na última noite várias aldeias da região foram atacadas com armas leves, sem que se produzissem vítimas.

A nova escalada de violência na zona de conflito entre Geórgia e Ossétia do Sul explodiu na sexta-feira passada, com ataques de artilharia e armas leves, nos quais morreram seis pessoas, e cerca de 30 ficaram feridas.

Separatistas e georgianos se acusaram mutuamente de iniciar as hostilidades, que ameaçam reativar o conflito que se arrasta desde o início dos anos 90.

Perante a gravidade da situação, as autoridades da Ossétia do Sul começaram ontem a evacuar a população infantil de Tskhinvali, para a república russa da Ossétia do Norte.

O comando russo das forças mistas de paz postadas na zona do conflito acusou a parte georgiana pela ruptura do cessar-fogo.

As autoridades georgianas pedem a substituição das forças de paz russas por um contingente policial internacional, iniciativa que conta com o apoio da União Européia e da Otan.

Segundo Tbilisi, as tropas de paz russas não podem ser consideradas forças de interposição, pois atuam em favor dos separatistas.

A Ossétia do Sul, da mesma forma que outra região georgiana, a Abkházia, se separou de fato da Geórgia no início dos anos 90, após um sangrento conflito civil, e deseja se unir à república russa da Ossétia do Norte. EFE mv/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG