Geórgia: Rússia rejeita novo projeto de resolução da ONU

A Rússia rejeitou nesta terça-feira, no Conselho de Segurança da ONU, um novo projeto de resolução sobre a Geórgia, apresentado pela França, alegando que o texto não menciona especificamente os seis pontos do acordo firmado por Tbilisi e Moscou.

AFP |

"A Rússia não apoiará o projeto de resolução apresentado pela França hoje (terça-feira)", declarou o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin.

O projeto foi apresentado pela França "em nome dos países europeus e com o apoio dos Estados Unidos", segundo um diplomata ocidental.

O diplomata russo explicou que, para Moscou, é indispensável a menção explícita no texto dos seis pontos do acordo de paz negociado.

O projeto, no entanto, se refere a apenas dois desses pontos, que falam da retirada das forças russas e georgianas. Estas, segundo o acordo, devem retornar a suas respectivas posições anteriores ao 7 de agosto, quando o conflito começou.

Churkin não disse se vetará o texto, mas advertiu que submetê-lo a votação será "uma perda de tempo".

Chamando o novo projeto de "muito estranho", o embaixador russo também criticou o fato do texto francês exigir a retirada "imediata" das tropas russas. Churkin afirma que isso é contrário ao espírito do acordo de paz.

Ainda segundo o embaixador russo, o acordo prevê, em primeiro lugar, "a retirada das tropas georgianas para suas posições, e a continuação da retirada progressiva das tropas russas do território georgiano" da Ossétia do Sul.

O projeto "tende a inverter esta seqüência" e "trai o plano em seis pontos", destacou.

Churkin também criticou os franceses por terem incluído no texto "um elemento muito político no que se refere ao respeito à integridade territorial da Geórgia", algo que Moscou não deseja.

Os russos insistem em que, durante o conflito, as regiões separatistas da Ossétia do Sul e da Abkházia demonstraram claramente sua vontade de se separar da Geórgia.

O novo projeto de resolução, muito curto, exige "o respeito completo e imediato do cessar-fogo assinado pelas partes", assim como "a retirada imediata das forças russas para as linhas que ocupavam antes do início das hostilidades e a volta das forças georgianas às suas posições originais".

O texto reafirma ainda o apoio "dos Estados membros (da ONU) à soberania, à independência e à integridade territorial da Geórgia no interior de suas fronteiras internacionalmente reconhecidas".

hc/ap/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG