Geórgia revoga estado de guerra e mantém exceção na Ossétia do Sul e Abkházia

Tbilisi, 3 set (EFE).- O Parlamento da Geórgia revogou hoje o estado de guerra em todo o território nacional administrado por Tbilisi, que tinha sido declarado em 9 de agosto, após a incursão das tropas russas.

EFE |

No entanto, mantém o estado de exceção nas regiões separatistas da Ossétia do Sul e da Abkházia, cuja independência foi reconhecida na semana passada pela Rússia, informou o canal de televisão "Rustavi-2".

O estado de exceção também afetará "outras zonas controladas pelas tropas ocupantes russas", afirma a resolução, que referenda o decreto assinado pelo presidente georgiano, Mikhail Saakashvili.

Em 23 de agosto, o Legislativo georgiano decidiu prorrogar o estado de guerra até 8 de setembro, mas, diante das circunstâncias, agora decidiu revogar o decreto.

Os combates entre as forças da Geórgia, de um lado, e as da Rússia e da Ossétia do Sul, de outro, duraram cinco dias.

No entanto, desde então, e apesar da retirada das unidades militares georgianas, tropas russas mantiveram o controle sobre várias das principais localidades georgianas próximas às separatistas Ossétia do Sul e Abkházia.

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, reconheceu ontem que tropas russas mantêm suas posições perto da localidade de Poti, o principal porto georgiano no Mar Negro.

Putin disse que a Rússia se reserva a adoção de medidas adicionais de segurança, segundo um dos pontos do acordo de cessar-fogo e retirada de tropas assinado pelo presidente russo, Dmitri Medvedev, e pelo chefe de Estado francês, Nicolas Sarkozy.

A Rússia defende que, após a agressão georgiana contra a Ossétia do Sul, é necessário criar uma faixa de segurança, que entraria vários quilômetros por território georgiano, algo inaceitável para Tbilisi. EFE mv/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG