Geórgia reivindica presença de observadores na Ossétia do Sul e Abkházia

Tbilisi, 11 dez (EFE).- O Ministério de Assuntos Exteriores da Geórgia reivindicou hoje a presença de observadores internacionais na regiões separatistas da Ossétia do Sul e da Abkházia, que, em agosto, foram reconhecidas como Estados independentes pela Rússia e, depois, pela Nicarágua.

EFE |

"A Rússia e seus regimes marionete não gostam da idéia de uma supervisão transparente e imparcial nos territórios ocupados (Abkházia e Ossétia do Sul)", afirma em uma nota divulgada pelo Ministério de Exteriores georgiano, que denunciou dois incidentes ocorridos na véspera na zona do conflito georgiano-osseta.

Segundo as autoridades georgianas, na quarta-feira, um veículo da missão de observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) foi baleado e um automóvel policial, dinamitado.

Os dois ataques, que não deixaram vítimas, "confirmam a instabilidade na zona do conflito e destacam a necessidade de colocar observadores internacionais", indica a nota do ministério.

Segundo o ministério, "nos territórios ocupados pela Rússia, aumentou consideravelmente tanto o pessoal militar russo quanto a quantidade de armamento".

"A Geórgia está interessada na presença de observadores da OSCE em todo o território do país, incluindo as zonas de conflito, e tentará que a Rússia concorde em aceitá-los", disse hoje o novo ministro de Assunto Exteriores georgiano, Grigol Vashadze, que assumiu seu cargo na terça-feira passada.

Vashadze fez esta declaração ao se reunir com o secretário-geral da OSCE, Marc Perrin de Brichambaut, na primeira atividade oficial do georgiano à frente do Ministério de Exteriores. EFE mv/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG