Geórgia divulga relatório com dados sobre agressão russa ao país

Tbilisi, 15 set (EFE).- O Conselho de Segurança Nacional da Geórgia publicou hoje um relatório de 26 páginas intitulado A agressão russa na Geórgia: fatos e números, com dados sobre incursões aéreas, mortos, refugiados, deslocados e postos de controle abertos pela Rússia em território georgiano.

EFE |

Concretamente, o Conselho de Segurança Nacional destaca que o país sofreu pelo menos 75 bombardeios e até 84 violações de seu espaço aéreo.

Segundo os dados, 326 pessoas morreram do lado da Geórgia durante o conflito com a Rússia, outras 2.234 ficaram feridas e 14 continuam desaparecidas, enquanto 127.499 constam como deslocadas.

Além disso, o documento afirma que, em território georgiano, a parte russa estabeleceu 25 postos de controle, 13 deles nas regiões centrais da Geórgia e outros 12 no oeste do país.

O relatório também acusa a Rússia de crimes ecológicos, especialmente de atear fogo ao parque nacional de Kharagaul, perto de Borzhomi, de onde procede uma água mineral muito popular entre os russos.

O relatório do Conselho também culpa a Rússia de ter destruído 55 centros educativos e de haver causado danos a dez monumentos considerados patrimônio cultural.

O último capítulo do relatório se refere ao ataque contra o oleoduto Baku-Supsa entre 10 e 12 de agosto, que previamente não tinha sido confirmado pelo Ministério do Interior georgiano.

Sobre isso, as tropas russas declararam mais de uma vez que, durante o conflito bélico, seus aviões tinham apenas na mira as infra-estruturas militares da Geórgia, e que entre seus alvos jamais havia instalações de interesse civil.

A parte russa negou também várias vezes as acusações de Tbilisi de sua participação no incêndio do parque nacional de Kharagaul, em Borzhomi, e nos ataques contra o oleoduto Baku-Supsa. EFE mv/wr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG