Tbilisi, 1 ago (EFE).- O Ministério do Interior da Geórgia considerou hoje de provocação as denúncias do Ministério da Defesa da Rússia de que um posto militar da região separatista da Ossétia do Sul foi atacado a partir do território controlado pelos georgianos.

"A situação é de absoluta normalidade e não houve nenhum tiroteio", disse à Agência Efe o porta-voz do ministério georgiano, Shota Utiashvili, que acrescentou que "as denúncias russas são uma provocação".

Horas antes, o Ministério da Defesa da Rússia tinha declarado que se reserva o direito de "usar todas as forças e meios disponíveis" para defender a população da Ossétia do Sul e os militares russos posicionados na região separatista, reconhecida por Moscou como Estado independente.

Segundo os militares russos, nos últimos dias, a capital da Ossétia do Sul, Tskhinvali, e um posto militar na região foram atingidos em várias ocasiões a fogo de morteiros e lança-granadas a partir de território georgiano.

O Ministério de Assuntos Exteriores georgiano qualificou a declaração russa de "infundada" e ressaltou que as acusações de Moscou são uma "ameaça aberta" à Geórgia.

"Toda a responsabilidade pelas provocações no território ocupado (Ossétia do Sul) recai sobre a Rússia", disse, em comunicado, a Chancelaria georgiana, que fez uma chamada à comunidade internacional a "condenar as declarações militaristas de Moscou".

EFE mv-bsi/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.