Geórgia assina acordo de cessar-fogo, mas se nega a ceder um único km2

O presidente georgiano, Mikhail Saakashvili, anunciou nesta sexta-feira que assinou o acordo de cessar-fogo com o ocupante russo, mas que não cederá nem um quilômetro quadrado da república do Cáucaso.

AFP |

"Hoje (sexta-feira) assinei o acordo de cessar-fogo", disse em entrevista à imprensa com a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, em Tbilisi.

O presidente georgiano "assinou um acordo" após ter esclarecido suas dúvidas sobre o plano de paz, comentou Condoleezza Rice, dizendo que obteve estes esclarecimentos em reunião na véspera com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, que promoveu e negociou o plano.

"Após a assinatura deste acordo, todas as forças russas e tropas paramilitares e irregulares que entraram com elas na Geórgia devem ir embora imediatamente", disse.

Por sua vez, Saakashvili destacou que não renunciará à Abkházia e à Ossétia do Sul, as duas repúblicas separatistas georgianas que reivindicam seu reconhecimento internacional após a fracassada ofensiva militar das tropas de Tbilisi na segunda.

"Há uma só soberania na Geórgia, Abkházia e Ossétia do Sul (...) Só o governo (georgiano) pode permitir a presença de forças em seu território", acrescentou ao acusar a Rússia de manter ainda ocupada nesta sexta-feira uma parte significativa de seu país.

Os Estados Unidos consideram necessário um futuro envio de uma força internacional de manutenção de paz "imparcial" na Geórgia, destacou por sua vez Condoleezza Rice.

"Precisamos de observadores internacionais e depois, na hora certa, uma força internacional de manutenção de paz mais robusta e imparcial", afirmou a chefe da diplomacia americana após encontro com Saakashvili.

"A posição dos EUA é a de que será preciso enviar uma força internacional de paz neutra para este local de conflito", insistiu Rice.

A Rússia afirma, ao contrário, que os separatistas ossetas e abkázios só aceitarão as forças de Moscou.

No território, um comboio de dez blindados russos avançou hoje em território georgiano a partir da cidade estratégica de Gori e se deteve a uma distância de 40 km da capital Tbilisi, constatou um correspondente da AFP.

A coluna, com um primeiro veículo de bandeira russa, percorreu 25 km a leste de Gori, detendo-se perto da localidade de Igoieti. De lá, se dividiu em dois para nordeste e para o povoado de Lamiskana.

bur-sd/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG