Geórgia acusa Rússia de posicionar mais 2 mil soldados na Ossétia do Sul

Tbilisi/Moscou, 23 out (EFE).- A Geórgia acusou hoje a Rússia de posicionar outros 2 mil soldados na região separatista da Ossétia do Sul, contingente com o qual teria aumentado para 7 mil homens sua presença militar na área.

EFE |

"Tememos que a Rússia esteja preparando provocações na Ossétia do Sul", afirmou o porta-voz do Ministério do Interior georgiano, Shota Utiashvili, em entrevista coletiva.

Utiashvili denunciou que várias dezenas de blindados russos já tomaram posições no distrito osseta de Akhalgori, que a Geórgia considera que deveria estar sob controle dos observadores europeus.

O chefe do departamento de imprensa do Ministério da Defesa russo, Alexander Drobishevski, negou as acusações, que chamou de "provocação informativa", com a qual a Geórgia buscaria "manter a tensão na região".

O ministro de Assuntos Exteriores russo, Serguei Lavrov, afirmou que era "difícil" para ele comentar as afirmações das autoridades georgianas, já que "há muito pouca verdade nelas".

Ao mesmo tempo, Lavrov lembrou que, segundo o acordo de amizade, cooperação e assistência em caso de agressão assinado com a Ossétia do Sul e a Abkházia, a Rússia posicionará cerca de 7.600 soldados nas regiões separatistas.

"Esta informação é acessível para todos desde o princípio, e qualquer especulação sobre os números pesarão sobre a consciência de quem a fizer", declarou.

O ministro de Assuntos Exteriores da Ossétia do Sul, Murat Dzhioyev, afirmou recentemente que tropas regulares russas substituiriam as forças de paz.

Por sua vez, o ministro de Assuntos Exteriores da Abkházia, Serguei Shamba, afirmou em 10 de outubro à Agência Efe que as tropas regulares russas tinham iniciado naquele dia seu posicionamento na Abkházia, que habilitará com este fim uma base aérea e outra naval.

O início do desdobramento russo aconteceu menos de 24 horas após as forças de paz russas abandonarem definitivamente a faixa de segurança que separava a Abkházia e a Ossétia do Sul do território administrado pela Geórgia.

No início de setembro, a Rússia assinou um acordo com as autoridades separatistas para o posicionamento de 3.800 soldados russos em cada um dos territórios separatistas.

Após reconhecer a independência das duas regiões e estabelecer com elas relações diplomáticas, a Rússia assinou acordos de amizade, cooperação e assistência mútua em caso de agressão com Abkházia e Ossétia do Sul.

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jaap de Hoop Scheffer, chamou de "inaceitável" a decisão russa de estabelecer tropas permanentes nas regiões separatistas georgianas.

De Hoop Scheffer considera que o acordo de desdobramento de tropas russas é uma violação flagrante do acordo europeu de cessar-fogo, que diz que elas devem retornar às posições anteriores ao dia 8 de agosto, quando eclodiu o conflito. EFE mv/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG