Genro de chefe do Fatah al-Islam morre em operação na Síria, diz jornal

Beirute, 25 out (Efe).- O genro de Chaker Absi, chefe do grupo radical sunita Fatah al-Islam, seria uma das vítimas fatais do último dia 9 em uma operação antiterrorista no campo de refugiados palestinos de Yarmouk, na Síria, informou hoje o jornal Al Liwa.

EFE |

O jornal libanês, próximo à maioria parlamentar, informou que o suposto genro de Absi, identificado como Abu Ibrahim, morreu em um confronto contra as forças de segurança sírias no campo de Yarmouk, na periferia sul de Damasco.

No último dia 9, os serviços de segurança da Síria desarticularam uma célula terrorista que se escondia em Yarmouk, em uma operação na qual houve cinco mortes, segundo fontes oficiais.

De acordo com as fontes, a ação causou a morte de dois agentes e três supostos terroristas.

O jornal acrescentou que Abu Ibrahim, de 35 anos, era casado com Wafaa, uma das filhas de Absi, e que vivia em Yarmouk.

Além disso, o "Al Liwa" afirmou que a família de Absi vive no campo de refugiados palestinos de Ein el-Hilweh, o maior do Líbano, situado nos arredores da cidade de Sidon desde o conflito em Nahr el-Bared.

Entre 20 de maio e 2 de setembro do ano passado, o campo de refugiados palestinos de Nahr el-Bared, no norte do Líbano, foi cenário de violentos confrontos entre o Exército libanês e o Fatah al-Islam. Estes confrontos deixaram 400 mortos, quase metade era militares libaneses.

Absi fugiu durante a tomada do campo por parte do Exército e até agora está em paradeiro desconhecido. EFE ks/fh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG