Genoma de verme parasita destruidor de lavouras foi seqüenciado

O primeiro genoma de um animal parasita de plantas, um verme nematóide, foi seqüenciado por um consórcio internacional de 27 laboratórios, segundo um artigo divulgado na revista britânica Nature Biotechnology.

AFP |

O verme analisado, Meloidogyne incognita ou nematóide das galhas, é um parasita extremamente voraz, capaz de atacar mais de 3.000 plantas hospedeiras, e particularmente prejudicial para as culturas de legumes, o café e o algodão.

A decodificação de seu genoma permite esclarecer a formidável capacidade de adaptação desses parasitas, indica um comunicado comum de grandes institutos francesas que participantes de um consórcio (Inra, CEA/Genoscope, CNRS).

Durante a análise do genoma, os pesquisadores tiveram a surpresa de constatar que ele era de fato constituído da justaposição de pelo menos dois genomas. A taxa de divergência média entre esses dois genomas é uma das maiores já observadas.

Essa particularidade genética poderá estar na origem da aquisição rápida de novas funções conferindo a esses organismos assexuados sua grande capacidade de adaptação, responsável por sua ampla distribuição pelo planeta.

Os nematóides colonizam todos os meios e representam uma grande parte da diversidade biológica, com 25.000 espécies descritas, e mais de um milhão estimadas.

Um outro resultado importante é a identificação de um grande grupo de enzimas que destroem a parede celular das plantas, sem igual no reino animal.

"Esse estudo vai permitir uma primeira análise do arsenal parasitário presente entre esses destruidores de plantas e nos mecanismos genéticos que determinam a formidável capacidade de adaptação desses organismos assexuados", explica o coordenador do projeto Pierre Abad (Inra-CNRS-Universidade de Nice Sophia Antipolis).

O estudo abre caminho para novas soluções de combate a esse verme. Os nematóides causam prejuízos de dezenas de bilhões de euros por ano no mundo. A solução química se tornou problemática, pois os produtos são tóxicos para o homem e para o meio ambiente.

Em um futuro próximo, o sequenciamento programado de outros genomas de vermes nematóides permitirá compreender melhor o alastramento desses organismos no planeta, indica o comunicado.

mpf/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG