Geneticistas alemães condenam ações de seus colegas nos tempos de Hitler

Geneticistas alemães condenaram hoje as ações de seus colegas durante o regime hitleriano, e principalmente seu apoio à política de eugenia do III Reich que resultou na morte de milhares de portadores de deficiência.

AFP |

Por ocasião do 75° aniversário da aprovação de uma lei nazista sobre "a prevenção das transmissões de doenças hereditárias à prole", a sociedade alemã de genética denunciou a cumplicidade de cientistas da época com uma política de esterilização forçada de mais de 400.000 pessoas e com o assassinato de milhares, através de programas de eutanásia.

"Tendo em vista o conhecimento genético da época, as ações (dos geneticistas) eram indefensáveis, uma vez que deveria estar claro que as medidas previstas eram não apenas moralmente injustas, mas biologicamente insensatas," segundo um comunicado da sociedade.

A capital alemã abriga atualmente um congresso internacional de genética, o primeiro em Berlim nos últimos 80 anos.

fc/pmr/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG